Tratamentos

Óleo de Coco para Queda de Cabelo: Guia Definitivo

Óleo de coco: para que serve?

O óleo de coco é o produto mais usado no mundo para o cabelo. Além do mais, trata-se de um produto acessível e natural. Um de seus diferenciais é que ele pode ser utilizado em todos os tipos de cabelo, seja crespo, oleoso, liso, quebradiço etc. Muitas pessoas imaginam que esse óleo deixa o cabelo oleoso, o que não é verdade. Vale mencionar que o óleo de coco que deve ser utilizado no cabelo deve ser extra virgem e prensado a frio.

Benefícios do óleo de coco

O óleo de coco encorpa cada fio em toda sua extensão, além de revitalizá-los e uniformizá-los, não os deixando espessos, e também acelera o crescimento capilar. Normalmente, logo após as primeiras aplicações já é possível notar alguma diferença.

Vale destacar que a uniformização vale para qualquer situação. Assim, se o cabelo for ondulado, por exemplo, as ondulações passarão a percorrer todo o fio de uma maneira simétrica. Se o cabelo for cacheado, os cachos serão igualmente modulados. Da mesma forma, se o cabelo tiver tendência a se tornar liso, essa característica será aprimorada, deixando os fios sem frizz e alinhados.

oleo-de-coco

Leia o artigo a seguir para saber quais são os benefícios do colágeno para os cabelos.

Como usar óleo de coco no cabelo

1) A aplicação em mechas

Depois de abrir o pote, basta derramar uma quantidade aproximada de 2 dedos sobre uma vasilha. Antes de aplicar sobre os fios, o cabelo deve ser dividido em duas partes. Em seguida, todos os fios devem ser desembaraçados com a ajuda de uma escova. A parte superior do cabelo deve estar presa, pois esta região será focada apenas na parte final.

A parte traseira deve ser a primeira a receber o óleo de coco, que deve ser bem concentrado sobre o couro cabeludo. Basta puxar uma mecha e começar a aplicar o óleo, deslizando-o pelos fios através dos movimentos executados pelas duas mãos. O óleo de coco deve ser aplicado até que o cabelo se torne bem umedecido. Depois, é preciso repassá-lo sobre as pontas, parte do cabelo na qual está a maior quantidade de fios quebrados. É importante ressaltar que as mãos sempre devem deslizar suavemente pelos fios, seguindo o movimento em direção à raiz. Isso evitará que o cabelo se quebre durante a realização do procedimento.

Terminada a aplicação na primeira mecha, ela deve ser deixada solta. Depois, basta pegar uma nova mecha, situada na região traseira da cabeça, e repetir o processo. Conforme o óleo de coco é aplicado, é necessário observar qual o volume ideal do produto deve ser aplicado sobre o cabelo.

A divisão em mechas tem o intuito de facilitar a chegada do óleo à raiz. Desse modo, tem-se a certeza de que o produto se espalhou por toda a extensão dos fios. Terminada a aplicação de um lado da cabeça, basta partir para a outra parte e repetir todo o procedimento.

Depois de aplicar o óleo de coco por todo o cabelo, vale a pena repassar o produto. Dessa vez, o cabelo será massageado em mechas ainda menores às iniciais. As mãos devem deslizar mais rapidamente em cada uma dessas mini mechas, que receberão doses generosas do óleo, principalmente nas pontas. Assim, o cabelo será praticamente massageado com o produto.

Vale observar que o processo é um tanto quanto trabalhoso. O tempo gasto é proporcional ao comprimento dos fios. Logo, mulheres que possuam cabelos longos passarão muito tempo aplicando o óleo de coco. Afinal, o procedimento deve ser efetuado com a máxima delicadeza e com paciência. Chegará o momento em que a parte superior do cabelo será acessada.

2) A massagem

Após todo o cabelo ter recebido o óleo de coco, os fios devem ser atirados para trás. Em seguida, as pontas dos dedos devem ser mergulhadas sobre o produto e levadas ao couro cabeludo. Iniciando o acesso em cada têmpora, todas as pontas dos dedos devem começar a massagear o couro cabeludo, deslocando-se gradualmente em direção à nuca, sem deixar de fazer os mesmos movimentos, que devem ser circulares. O processo deve ser repetido várias vezes, sempre com óleo nas pontas dos dedos a fim de tratar profundamente o couro cabeludo.

Quanto mais tempo for dedicado à essa massagem no couro cabeludo, mais ativos ficarão os nutrientes presentes no óleo de coco. Assim, o crescimento do cabelo será ainda mais incentivado. Trata-se de mais uma etapa que exige bastante paciência. Um detalhe a ser destacado é que a massagem acaba aquecendo o óleo.

Finalizada a massagem dos fios, o cabelo deve ser enrolado para receber um coque, mas o penteado deve ficar bem frouxo. Além disso, é importante utilizar presilhas que não agridam e quebrem o cabelo no momento de prendê-lo.

3) O aquecimento

Depois de prender o cabelo, o procedimento de aquecimento dos fios é algo totalmente particular. Como o Brasil é um país de clima tropical, o uso de tocas e toalhas térmicas se torna dispensável. As tocas plásticas utilizadas no banho já podem proporcionar um ótimo resultado. O próprio calor do couro cabeludo aquecerá o óleo, aprimorando o processo de absorção. Caso a mulher resida em uma região mais fria do Brasil, uma alternativa consiste em envolver o cabelo com uma toalha previamente aquecida. Já em locais extremamente quentes, a soma do calor inerente ao couro cabeludo com calor externo será suficiente para a obtenção dos resultados desejados.

O tempo ideal mínimo de ação do óleo de coco sobre o cabelo deve ser de quatro horas, podendo chegar a, no máximo, seis horas. Durante esse período, a mulher pode, por exemplo, dormir. Porém, é possível que o cheiro e a excessiva umidade a incomode. Para as mulheres que consigam dormir, é recomendável a utilização de uma fronha, na qual o cabelo possa deslizar facilmente. A toca pode ser usada para ajudar na suavização do atrito entre fronha e cabelo, pois o objetivo é evitar qualquer tipo fricção entre ambos.

Por fim, o óleo de coco deve ser totalmente removido do cabelo, da mesma forma como ocorre após uma lavagem com shampoo.

como-aplicar-oleo-de-coco-no-cabeloO que fazer com as sobras do óleo?

Um detalhe importante a ser observado se refere às sobras do óleo, que jamais devem ser devolvidas ao pote, afinal, as mãos acabam contaminando o óleo. Logo, a mistura desse óleo contaminado com aquele contido no pote, poderá estimular a formação de fungos, comprometendo a pureza da fórmula. Consequentemente, os benefícios que seriam proporcionados ao cabelo também acabarão sendo perdidos. Portanto, caso sobre alguma parcela de óleo no vasilhame usado, ela deverá ser descartada no lixo. Outra possibilidade é usar sobre o cabelo de outra pessoa. Qualquer opção é válida, desde que o óleo não seja devolvido ao pote original. Ademais, o óleo restante deve ser usado apenas naquele dia.

Óleo de coco: onde comprar

Uma das versões de óleo de coco que pode ser utilizada sobre o cabelo é o produzido pela Copra.

>> Clique aqui para comprar o Óleo de coco Copra <<

Nos agracie com sua opinião:

E você, já usou óleo de coco? Se sim, compartilhe conosco sua experiência? Se não, diga o que pensa do produto. Está pensando em comprar? Poste nos comentários!

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido: Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98)