Tratamentos

6 Melhores Tratamentos para Queda de Cabelo

Tratamentos para queda capilar

Como detectar a calvície?

Clinicamente, existem exames que podem ser feitos para a detecção da calvície, como o tricograma e a dermatoscopia. Dessa forma, é possível verificar se há indícios de que aquele paciente ficará ou não calvo, e caso positivo, em seguida, devem ser iniciados os tratamentos.

Quanto mais cedo a queda de cabelo mostrar seus primeiros sinais, pior será o prognóstico, e a partir do momento em que ela se instalar, deverá ser feito um diagnóstico detalhado para descartar possíveis patologias. Afinal, se a queda for reflexo de alguma doença, esta última é que deverá ser tratada, pois a primeira será consequência da segunda. O especialista poderá verificar, por exemplo, se não há uma deficiência de ferro ou zinco através de um hemograma, buscando assim encontrar algum foco infeccioso. Já se a queda capilar for originada por fatores hereditários ou genéticos, ela poderá ser tratada diretamente.

Em que idade o cabelo começa a cair?

A calvície pode se manifestar de forma precoce, mesmo por volta dos 13 ou 14 anos, principalmente quando o menino ou menina possuem antecedentes familiares portadores de alopecia androgenética. Nestes casos, há possibilidade deles também sofrerem com o mesmo distúrbio, porém, isso não é uma certeza.

Cerca de 15% dos casos de calvície começam antes dos 18 anos, entretanto, a perda de cabelo costuma ser mais acelerada entre os 30 a 40 anos, já aos 50 anos, cerca de metade da população masculina possui algum grau de calvície.

É sabido que o indivíduo se torna calvo devido à sensibilidade ao hormônio masculino (testosterona). Na realidade, o indivíduo calvo tem uma maior capacidade de transformar testosterona em dihidrotestosterona, o grande vilão da queda capilar. Portanto, algumas formas de tratamento consistem em impedir que a testosterona se transforme em dihidrotestosterona.

É muito comum que mulheres que desenvolvam cistos no ovário comecem a sofrer com a queda capilar. Nesse caso, o cisto entra como um agravante da calvície, e não como causa. Assim, se a mulher apresentar predisposição genética, tiver cistos no ovário e altos níveis de testosterona, a calvície poderá ser agravada. Em contrapartida, se a mulher tiver cisto ovariano, mas não possuir herança genética favorável à calvície, ela não sofrerá de alopecia androgenética.

Como tratar a queda de cabelo

Muita das pessoas que já perderam seus cabelos apenas tentam se conformar, cientes de que isso se trata de um processo natural. Vale mencionar que há meios eficientes de se retardar a calvície, e para aumentar as chances de sucesso, eles devem ser colocados em prática de forma precoce. Assim, como a calvície, geralmente, tem causa genética, o ideal é que indivíduos com pais e avós que apresentem o problema não esperem perder os cabelos para somente então começarem a buscar por uma solução.

Quanto tempo dura o tratamento para a calvície?

Uma vez iniciado o tratamento, demora-se, no mínimo, dois meses para conseguir algum efeito. Logo, não se deve iniciar um tratamento esperando resolver o problema já na semana seguinte. Ademais, existe um prazo para iniciar o tratamento, mas não para finalizá-lo. Afinal, a calvície não tem data para terminar, porém, em alguns casos, ao chegar aos 40 ou 45 anos, ela poderá sofrer uma estabilização.

6 Melhores tratamentos para calvície

Shampoo para cabelos oleosos

Quanto ao tratamento, podem ser utilizados shampoos específicos para controlar a oleosidade, já que o excesso desta última contribui para a descamação do couro cabeludo, processo vulgarmente conhecido como caspa, que por sua vez tende a aumentar a queda dos fios.

Reposição da ferritina

Segundo a literatura médica, se a ferritina, componente do metabolismo do ferro, estiver abaixo de 40 ou 70 (varia segundo o autor), invariavelmente o indivíduo sofrerá queda de cabelo. Isso está relacionado a anemia. Durante a dosagem laboratorial, o médico deverá solicitar um estudo sobre o ferro. Caso, por algum motivo, o paciente não consiga consumir ferro de maneira adequada, o problema deverá ser pesquisado mais a fundo, e poderá ser necessário proteger a mucosa gástrica do paciente e verificar outras opções de reposição de ferro que ele consiga tolerar, incluindo-as em sua alimentação.

Se for detectado um grau considerável de anemia e uma baixa taxa de ferritina, a qual o paciente não consiga repor, dificilmente o cabelo apresentará melhoras. Desse modo, em algumas situações é necessário buscar o auxílio de um hematologista (especialista em doenças do sangue) para que, em conjunto com um dermatologista, o ferro possa ser reposto de alguma maneira. A presença do dermatologista é importante, pois, além da reposição do ferro, existem tratamentos locais efetuados sobre o couro cabeludo que podem ser bastante eficazes.

Tratamento medicamentoso e implante capilar

Além do uso de hormônios, há outras substâncias não hormonais que podem ser utilizadas,  como o Minoxidil e o alfa-estradiol, que são medicações usadas localmente. Como se trata de uma doença assinalada por uma sensibilidade ao hormônio masculino, tem-se a impressão de que qualquer tratamento será hormonal, porém, o minoxidil, por exemplo, não é hormonal. O objetivo é inibir a conversão de um hormônio em outro. Outro remédio bastante utilizado é a Finasterida. O transplante deve figurar como última opção.

A medicação, tanto oral quanto tópica, não irá repor todos os cabelos perdidos, logo, o paciente não deverá criar expectativas de resultados excepcionais com relação ao tratamento medicamentoso. A medicação evita a progressão da queda e repõe uma parte do cabelo, o que ocorre exclusivamente por meio do engrossamento dos fios antes atrofiados.

Tratamento a laser para queda de cabelo

tratamento-laser-contra-queda-de-cabelo

O laser pode ser eficaz durante o quadro inicial de calvície, e ineficaz em casos onde o cabelo já esteja bastante comprometido. O tratamento com laser exerce o efeito de ampliar a irrigação da corrente sanguínea e de estimular a matriz capilar à aumentar seu volume, incitando a produção celular e culminando em um ligeiro engrossamento dos fios. Na prática, isso significa que um fio fraco de um determinado bulbo capilar duplo pode ser fortalecido.

Tratamento com Minoxidil

tratamento-com-minoxidilO Minoxidil atua como um vasodilatador. Assim, o composto exerce um efeito sobre o bulbo, aumentando a vascularização da região. O indivíduo deve utilizar a substância ao longo de um ano a fim de verificar se ela realmente produz o efeito esperado, pois não são todas as pessoas que respondem bem a esse tratamento. Além disso, convém salientar que interromper a queda capilar e fazer com que os cabelos cresçam novamente são ações totalmente distintas.

Leia o artigo a seguir para saber mais sobre o tratamento com Minoxidil.

tratamento-com-follixinTratamento com Follixin

O mercado farmacêutico já disponibiliza complexos de substâncias que auxiliam na recuperação da vitalidade capilar. Um desses compostos é o Follixin, suplemento que contém biotina, um mineral importantíssimo para a saúde capilar, além de zinco, selênio, entre outros. O produto age retardando a calvície, revigorando os cabelos e ainda recuperando parte dos fios perdidos.

Para saber como usar o Follixin, seus efeitos colaterais e onde comprá-lo, acesse: http://remedioparacrescercabelo.net.br/follixin-preco-e-onde-comprar/

E você?

Já fez algum dos tratamentos listados acima? Se sim, o que achou? Valeu a pena ou não? Se ainda não fez, o que está esperando? Ficou alguma dúvida sobre algum dos tratamentos? Comente e responderemos logo em seguida.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido: Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98)